Yeshu, Jesus, Yeshua,
Historicamente com base nas fontes judaicas.

Parece redundante dizer, mas todo fato histórico precisa de um momento na história para ter ocorrido. Que encaixe sua história e sua possibilidade. Por ex. Se eu disser o “Homem foi à Lua” existe um fato e a próxima pergunta é “Quando?” se eu digo ‘idade média’ vai ficar provada uma mentira, por falta de possibilidades na época. Mas se recoloco o fato dentro de um momento como o séc XX com a disputa de conquistas espaciais entre Russia e EUA, mesmo que eu não acredite, existe a possibilidade

Assim Yeshu por si só não tem âncora histórica alguma. Monumentalmente, vestigios, relatos contemporâneos etc. As pessoas acreditam que ele existiu à 1980 a 2025 anos atrás com base em um calendário feito mais de 300 anos depois do que se supõe ser o ano de seu nascimento. Com uma margem de erro imensa, e ainda assim sem âncora histórica.

Qual a âncora histórica de Yeshu?
Existe uma forte e uma fraca, que se dão pelo contexto de alguns relatos nos evangelhos.

A âncora fraca que o situa na data conhecida é sua relação com Hordus (Herodes) e Pilatos. Que foram dois personagens históricos que o situam em um contexto.

E que na verdade são poucas as suas conexões com Yeshu. Que são citados mais como “referência” de tentar inseri-lo em um momento ou situação pelos autores dos livros, (que são todos do sec II e III E.C.)

Prova da ausência de provas é que mesmo nos tempos contemporâneos há a necessidade de utilizar-se de textos alterados de historiadores contemporâneos, como Flavio Josefo.

Os contextos fortes:

Judéia estava sob domínio romano,

Haviam facções dentro do judaísmo,

O segundo templo estava de pé os judeus estavam na Judéia,

Isso dá uma janela histórica de 220 anos, desde o ano 150 AEC até 70 EC

Em qualquer momento desta janela pode ter “existido” este Yeshu, histórico que ficou popular e suas histórias foram se difundido e se incrementando, ao ponto que surgiu um Mito, como Hércules, Teseu, Curupira, Saci etc…

Para nós com base em nossos registros ele foi Discipulo de Rabi Yehoshua, sendo relatado em Sanhedrin 103 א tratando do tema de como uma pessoa deve tratar seu discípulo.

Dizem: “um mestre deve empurrar com a mão esquerda e puxar com a direita, e não fazer como fez Rabi Yehoshua com Yeshu haNotsri, que o empurrou com as duas mãos”

Nas paginas de Sanhedrin 103 até 107 citam algumas informações adicionais deste fato.

Durante este período havia uma seita judaica, os Tsdokim (Saduceus), eram inimigos de Rabi Yehoshua e procuravam matá-lo. Rabbi Yehoshua foge para o Egito com seus discípulos, entre eles Yeshu.

Após anos de exílio, Rabi Yehoshua retorna para Israel com seus discípulos, neste momento Yeshu volta também à Israel.

Enquanto estiveram no Egito Yeshu aprendeu práticas egípcias de Kishuf, magia. Era proibido sair do Egito carregando pergaminhos de magia. Para contrabandear estes feitiços Yeshu escreve sobre seu corpo estas magias , conforme se relata na Massechet Shabat.

No meio do caminho de retorno, continua a massechet Sanhedrin, o grupo se hospeda em uma estalagem e Yeshu faz um comentário sobre a esposa do estalageiro, Rabi Yehoshua não admite e espulsa seu discípulo.

Depois de Yeshu buscá-lo para pedir seu perdão duas vezes e Rabi Yehoshua negá-lo, Yeshu tenta uma terceira vez mas Rabi Yehoshua estava em meio a sua Reza e não se moveu. Yeshu passa então a fazer sua pregação.

Isso foi o “empurrar com duas mãos”

Quem era essa pessoa, Yeshu? Pai, mãe, família etc?

O Talmud não é um livro “linear” como a maioria das pessoas está habituada. Ele traz a lei oral, e os sábios debatem com provas históricas de situações semelhantes e com referencia ao caso ou textos do mesmo rabino que transmite a informação, com conexões bíblicas e os costumes a que se conectam.

Então a história familiar de Yeshu aparece em uma situação de similitude. Apresentando casos para estabelecer uma norma de conduta.

Em Shabat 104 ב. Há o relado sobre Ben Stada (Ben Padeira).

Conta-se que Papus ben Yehudah (José) era casado com Maria Magdalah (sua esposa) e ele por ser mais velho, tinha muito ciúmes e encerrou (st’dah) ela para que não saísse de casa. E assim ela acaba se relacionando com Pandeira um soldado romano e concebe.

Tendo um filho, chama-ode Yeshu. Um mamzer (bastardo, nascido de uma relação proibida)

A mesma história é contada em Massechet Guitim 90א.

Aqui vemos o motivo desesperado de se achar “várias marias” nos evangelhos, de inserir uma Madalena, onde que não há relato algum de ser uma prostituta, conforme a tradição cristã afirma.

Foi mais para “uma ser tão pura” que chegou a ter um filho virgem, e a outra era tão promiscua que era uma prostituta.

E em Sanhedrin 43א narra o Julgamento e execussão de Yeshu e 5 discípulos.

O contexto da discussão é que se julga e se executa de imediato. Mas no caso de Yeshu que era amigo do rei Yanai ele foi julgado, ficou preso 40 dias e depois foi executado.

Aqui encontramos um paralelo do sumisso de Yeshu 40 dias antes de sua morte, que os cristãos atribuem a um retiro, mas que para nós foi a prisão antes da execução.

Por 40 dias o Sanhedrin anunciou “Há alguém que queira declarar algo em favor de Yeshu?” em busca de testemunhas favoráveis, como não foram encontradas, sua pena foi levada a cabo.

Ele foi enforcado, conforme a pena para feiticeiros e falsos profetas, na véspera de Pessach (Páscoa).

Esta é a discussão sobre seu julgamento:

SANHEDRIN 43

A MISHNAH diz:

Se após o julgamento, a pessoa for encontrada inocente, é liberado. Mas se não for inocentado, ele será apedrejado, mas uma pessoa vai a frente do julgado (enquanto estão levando-o para receber a punição), gritando: “Fulano filho de Ciclano está sendo levado a ser apedrejado por cometer tal, tal e tal transgreção, e estas são as testemunhas, fulano e ciclano, e se alguém sabe algo a favor do culpado venha e se apresente e declare ( para que o desculpem)”

A guemará continua explicando o processo:

GEMARA

Disse Abaye; Também deve ser anunciado: Em tal e tal dia, em tal e tal hora, e em tal e tal lugar [o crime foi cometido], caso haja alguns que saibam algo [contrário], que sejam trazidos para que eles possam provar que as testemunhas são falsas.

[Sobre o que foi dito] “UMA PESSOA VAI A FRENTE ANUNCIANDO”: Isto acontece apenas imediatamente antes da execução, mas não antes disso. [Em contradição com isso] foi ensinado: Na véspera da Páscoa Yeshu foi enforcado e por quarenta dias antes da execução, um arauto saiu e gritou: ‘Ele está saindo para ser executado porque praticou feitiçaria e seduziu Israel para a apostasia. Qualquer um que possa dizer qualquer coisa a seu favor, permita que ele se apresente e pleiteie por ele.” Mas desde que nada foi apresentado em seu favor, ele foi enforcado na véspera da Páscoa! – Ulla respondeu: ‘Você acha que ele era alguém para quem uma defesa (com um período anterior) poderia ser feita? Ele não era um feiticeiro, a respeito de quem a Escritura diz: “nem deverás poupar, nem tu deverás ocultá-lo?”A resposta é que para Yeshu, no entanto, foi diferente, porque ele estava conectado com o governo [ou a realeza, ou seja, influente]. ‘

A guemarah segue nos contando agora o que se passou com os discípulos, que também foram levados a juízo. Observamos uma tentativa de uso de textos bíblicos para distorcer a pena.

A GUEMARAH conclui sobre o tema:

Nossos rabinos ensinaram: Yeshu teve cinco discípulos, Mathai, Nakai, Nezer, Buni e Todah.

Quando Matthai foi trazido [perante a corte] ele disse a eles [os juízes], Matthai será executado? Não está escrito: “Matthai [quando] eu irei e comparecer diante de Deus?” (Sl 42.3) Então eles retrucaram; Sim, Matthai será executado, desde que está escrito: “quando [Matthai ] morrer [ele] e seu nome perecer.” (Sl 41.6)

Quando Nakai foi trazido, ele lhes disse; Será que Nakai será executado? Não está escrito: “Naki [o inocente] e o justo não o matam?” (Ex 23.7) Sim, foi a resposta, Nakai será executado, já que está escrito: “em lugares secretos que Naki [o inocente] mata.” (SL 10.8)

Quando Nezer foi trazido, ele disse; Nezer deve ser executado? Não está escrito: :E Nezer [um ramo] crescerá de suas raízes.: (Is 11.1) Responderam eles: Nezer será executado, pois está escrito: “Mas tu és lançado da tua sepultura como Nezer (um abominável desdobramento).” (Is 14.19)

Quando Buni foi trazido, ele disse: Será que Buni será executado? Não está escrito “Beni [meu filho], meu primogênito?” (Ex 4.22) Sim, disseram eles: Buni será executado, pois está escrito: “Eis que matarei a Bine-ka [teu filho] teu primogênito.”(Ex 4.23)

E quando Todah foi trazido, ele disse a eles; Todah deve ser executado? Não está escrito: “um salmo para Todah [ação de graças]”?(Sl 100.1). Sim, eles responderam: Todá será executado, pois está escrito: “O que oferece sacrifício de Todá [ação de graças] me honrou.” (Sl 50.23)

<><><><><><><><><>><><><><><><><>

Assim observamos que desde os tempos antigos mesmo os discipulos antes de ser mortos tentatam, distorcendo os textos, alcançar ddaistorcer a culpa e se livrar da punição.

Mishnah – Lei Oral
Guemarah – Discussão sobre a Lei Oral.

Assim se tem a figura de Yeshu, sua família, seu contexto histórico, sua origem, seus motivos e um background completo desta pessoa.

Hoje, sabemos mais do Yeshu histórico do que os próprios cristãos.

A igreja católica teria hoje possibilidade (se assim quisesse) de provar ao mundo “sua verdade” abrindo seus armazéns, com as centenas de evangelhos antigos e seus textos.

Por que eles que detém as copias mais antigas de tudo que se diz respeito ao cristianismo e não mostram? Porque não liberam as bibliotecas, não digitalizam seus conteúdos?

Por que o dia que fizerem isso, acaba-se o cristianismo e tudo desmorona já que a fé cristã só se mantém na ignorância.