A Mitsvah de acender a Menorah

A última Parashá descreveu como os Nesiím (Líderes) das 12 tribos inauguraram o Altar do Mishkan com seus sacrifícios. No entanto, Aharon, príncipe da tribo de Leví, se absteve de incomodar Moshé com um pedido de também levar animais e carroças carregadas de oferencas para o Altar.

QUando viu que H”S aprovou as doações dos outros Nesiim, Aharon decidiu participar também, no entanto, já era tarde demais. H”S já havia aceitado as doações de Efraim como sendo a doação da décima segunda tribo. E assim, Aharon não ocupou seu posto entre os príncipes de Israel.
_Que tristeza essa minha! chorou Aharom…
_Será que H”S ainda não perdoou meu pecado do BEzerro de Ouro?
E não somente Aharom, senão toda a Tribo de Levi estava preocupada pois seu representante não havia oferecido sua parte nos Sacrifícios de inauguração, sobre o Altar.

H”S não aceitou as doações de Aharon, porque havia reservado uma honra ainda maior para ele; ele receberia a Mitsvah de preparar a Menorá. Sua Tribo, os Leviim, teriam também uma distinção especial. Eles seriam santificados como servidores de H”S em uma cerimônia, descrita na sequência. HKB”H Consolou a Aharon dizendo:
_Não há porque afligir-se! Para você eu reservei uma Mitsvá que transpassa a oferenda dos sacrifícios de inauguração. Você e seus filhos prepararão a menorá no Mishkan e no Beit Hamikdash (Templo Sagrado). O mandamento de acender a Menorá durará para sempre. Teus descendentes os Chashmonaim, instituirão a Mitsvah permanente de acender as velas de Chanukah. Assim seu “Chanukah”(Inauguração) continuará sempre, enquanto a Chanukah dos Nessiim é somente temporária.

HKB”H usou um termo incomum para ordenar acender a Menirah, dizendo, Behaalotechá. Entre outras conotações, este termo denota “elevar-se” ou “você se elevará”. Cumprindo esta Mitsvah os Judeus tornam-se espiritualmente mais Elevados.

Moshé não conseguia compreender porque H”S desejava que uma Menorá fosse acesa no Mishkan. Pois a todo momento que ele entrava encontrava o Mishkan completamente iluminado pela Shechinah (Presença Diniva).

_Como poderiam as luzes da pobre Menorah comparar-se a luz e ao esplendor que era erradiado pela Shechinah?
H”S respondeu a Moshé:
_Behaalotechá, Vocês serão elevados espiritualmente acendendo a Menorah, este é o motivo de lhes dar esta Mitsvah.
Para demonstrar que HKB”H não necessitava de nossa Luz, H”S ordenou que cada uma das três chamas laterais da haste central focem direcionadas ao centro, e não para o exterior.

Ainda que Aharon pudesse pedir a um de seus filhos que acendessem a Menorah, ele cumpriu esta Mitsvah toda sua vida, pessoalmente, com a maior precisão. Por exemplo, ele sempre subia em uma plataforma para o acendimento, apesar de ser extremamente alto, mesmo podendo preparar as lâmpadas de pé frente a elas.

Sabemos que o motivo de acender a Menorá é apreciada por HKB”H, por ser um mandamento mencionado várias vezes na Torah.

E percebemos que em cada local, novos detalhes são adicionados. O próprio Moshé advertiu a Aharon de não subestimar a importância desta Mitsvah. O motivo de sua importância, é que ela não era realizada toda de uma vez, pela manhã o Kohen limpava somente cinco Lâmpadas, fazia uma pausa para uma Avodá (Serviço Religioso) diferente e só após isso retornava e limpara as 3 lâmpadas restantes. Desta maneira, o tempo da cerimônia se estendia e atraia a atenção das pessoas que estavam no Azará (Pátio do Mishkan).

Extraído do “O Midrash Diz”

 

Rav Y. Lopes