בס’ד

De acordo com a interpretação do senso comum sobre a famosa história entre o Rei David e Bat-Sheva, David teria cometido adultério, à princípio, já há a primeira explicação de que não seria transgressão, tendo em vista de que todo seu exército ao sair para guerra deixava um Guet com as mulheres, ou seja, uma carta de Divórcio, para caso viesse a morrer em guerra e seu corpo não fosse achado, ela fosse permitida a casar-se novamente.

Entretanto Rambam, analiza o fato sobre outra perspectiva, apoiado em diversas declarações de Chaza”l, que Uriah haChiti (o Hitita ou Hiteu) não era judeu, era um estrangeiro morando em Israel, o que à princípio já seria um casamento proibido. O Rabi Avraham ben haRambam descreve (em seu livro Perguntas e Respostas 25): “meu pai me ensinou que o Uriah haChiti era um Guer Toshav (estrangeiro não judeu)”. Ou seja, de acordo com esta afirmação, do filho de Rambam, Uriah haChiti era um gentio (não-judeu), e portanto seu casamento estaria proibido para com Bat-Sheva, e portanto (de acordo com as leis de casamento) seria inválido.

 • Quais as motivações de David Hamelech?

David queria construir o Templo de Jerusalém. Mas Deus lhe disse que ele não poderia construí-lo por causa das grandes guerras que ele fez, então, Davi recebeu uma profecia pessoal de HKB”H:

Mas veio a mim esta palavra do Senhor: ‘Você matou muita gente e empreendeu muitas guerras. Por isso você não construirá um templo em honra do meu nome, pois derramou muito sangue na terra, diante de mim.
Mas você terá um filho que será um homem de paz, e eu farei com que ele tenha paz com todos os inimigos ao redor dele. Seu nome será Salomão, e eu darei paz e tranqüilidade a Israel durante o reinado dele.
É ele que vai construir um templo em honra do meu nome. Eu serei seu pai e ele será meu filho. E eu firmarei para sempre o trono do reinado dele sobre Israel’.
1 Crônicas 22:8-10

David já tinha filhos, mas após esta profecia, entendeu que eles eram inadequados para a tarefa, que este filho elencado na profecia deveria ter uma ligação especial com Jerusalém, então ele passa a buscar uma mulher de Jerusalém para dar à luz a este filho, observe neste texto:

Depois de mudar-se de Hebrom para Jerusalém, Davi tomou mais concubinas e esposas, e gerou mais filhos e filhas.
Estes são os nomes dos que lhe nasceram ali: Samua, Sobabe, Natã, Salomão,
2 Samuel 5:13,14

A única coisa que estas mulheres tinham de especial era que eram naturais de Jerusalém. Mas qual a ligação de Jerusalém com o filho que havia sido estabelecido na profecia?
שלמו Shlomo (Salomão) tem em seu nome a raíz da do nome antigo da cidade de Jerusalém שלם Shalém  Observe a similitude das palavras:   [שלם>< שלמה] [SHaLeM ><  SH`LoMo].
Esta estava sendo sua busca, a de um filho natural de Jerusalém que pudesse reinar em seu lugar e edificar o Beit Hamikdash.

• “Por acaso esta não é Bat-Sheva?”

Uma tarde Davi levantou-se da cama e foi passear pelo terraço do palácio. Do terraço viu uma mulher muito bonita tomando banho, e mandou alguém procurar saber quem era ela.
2 Samuel 11:2,3

Toda a história entre os dois tem inicio neste relato. Que bem observado, David Hamelech primeiramente envia mensageiros para saber quem seria esta mulher. E esta é a mensagem que seus enviados Trouxeram:

Disseram-lhe: “Por acaso não é esta Bate-Seba, filha de Eliam e esposa de Uriah haChiti?”.
הלוא זאת בת שבע בת אליעם–אשת אוריה החתי
2 Samuel 11:3

O enviado traz no início do seu relato a expressão הלוא haLô! que denota uma pergunta, um conhecimento prévio de uma história passada.
Conta um Mitrash:

“Como disseram Chaza’l: Quando David decepou Goliat, e foi joga sua cabeça em uma tumba, foi fechada a entrada atrás dele, Então gritou para ele Uriah (capanga de Goliat): se eu abrir para você, me daria uma esposa? David respondeu, Darei! HKB”H perguntou a David, como você pode dar uma mulher das filhas de Israel? Por tua vida, dê uma mulher que seja tua (prometida)! Esta seria Bat-Sheva, a “noiva” prometida a David. E por isso o enviado de David diz após a busca:
“Por acaso não é esta Bate-Seba, filha de Eliam [que você mesmo deu por] esposa a Uriah haChiti?”.

A explicação de Saadia Gaon sobre este Midrash, é que o pai de Bat-Sheva , Eliam, era filho de Achitofel haGuiloni, que era um Príncipe em Israel. E não havia sido correto dar uma das Filhas de Israel para um homem que a Torah proíbe o casamento. E sobre o mesmo Midrash, Rambam mantém sua opinião de que em todas as instâncias o casamento estaria proibido, pois para ele Eliam era conivente com este matrimônio.

Rambam ainda acrescenta que este Midrash não é de simples entendimento,  já que mesmo após matar Goliat ele ainda não era Rei, e mesmo que fosse não poderia liberar o casamento entre um gentio e uma Filha de Israel. E acrescenta ainda que seria muito difícil para David conseguir um casamento como este, já que até mesmo para David era difícil casar entre as filhas de Israel, já que sua avó era de origem Moabita, o que para muitos, na época era visto com maus olhos.

Temos outro ponto de apoio na Tanach sobre a “cidadania” de Uriah:

Avshalom havia nomeado Amasa para comandar o exército em lugar de Joabe. Amasa era filho de Jéter, um israelita que havia possuído Avgail, filha de Nachásh e irmã de Zeruia, mãe de Yoav.
“וְאֶת עֲמָשָׂא שָׂם אַבְשָׁלֹם תַּחַת יוֹאָב עַל הַצָּבָא וַעֲמָשָׂא בֶן אִישׁ וּשְׁמוֹ יִתְרָא הַיִּשְׂרְאֵלִי אֲשֶׁר בָּא אֶל אֲבִיגַל בַּת נָחָשׁ אֲחוֹת צְרוּיָה אֵם יוֹאָב:”
2 Samuel 17:25

A expressão “possuído” (Bah el Avgaíl) denota que fora um relacionamento fora do casamento. E ressalta a informação Israelita, por ter sido um estrangeiro a se converter ao povo de Israel. em todos os casos, um gentio que se converte ao povo de Israel, é chamado Israeli. E como neste caso citado acima, é um casamento válido.

No caso de Uriah, mesmo morando em Israel ainda mantem seu título de haChiti (o Hiteu).

• Achitofel na História

Achitofel era conselheiro do rei [David]. Husai, o arquita, era amigo do rei.
1 Crônicas 27:33

Elifelete, filho de Aasbai, de Maaca; Eliam [pai de Bat Sheva], filho de Achitofel, de Gilo;
2 Samuel 23:34

Este Achitofel é o mesmo que futuramente apóia Avshalom na revolta contra o Rei David, observe seu concelho:

Então Absalão disse a Aitofel: “Dê-nos o seu conselho. Que devemos fazer? ”
Aitofel respondeu: “Tenha relações com as concubinas de teu pai,…
2 Samuel 16:20,21

 

• O plano para separar Bat Sheva

Já está claro que Urian não era Israelita, e muito menos que não havia importância para Achitofel e Eliam a santidade de um casamento, com base em seus conselho. Eliam e Uriah eram amigos conhecidos a partir da força militar de David haMelech, conhecida como Guiborim, Segundo Rada’k, comentando II Shmuel 12,1, Bat-Sheva seria a segunda esposa de Uriah, que sob o conselho de Achitofel, planejava casar-se com uma Israelita, participar de uma guerra e depois disso estaria “aposentado” pelo exército de David.

Achitofel era um homem sanguinário e enganador, mas ele se mostrava ardilosamente ao povo como conhecedor de assuntos de Torah:

E era o conselho de Aitofel, que aconselhava naqueles dias, como se a palavra de Deus se consultara; tal era todo o conselho de Aitofel, assim para com Davi como para com Absalão.
2 Samuel 16:23

Achitofel teria incentivado este casamento, insinuando que apesar de não ser um casamento válido de acordo com a Torah, seria válido de acordo com as 7 Leis dos filhos de Noé (para a humanidade).

Por sua vez, agora que David havia enviado mensageiros para saber sobre a mulher que havia observado, interou-se de quão grave estava sendo o erro deste relacionamento entre os filhos de Israel, pois Uriah não havia convertido ao Judaísmo (abandonando sua antiga religião e seguindo seus costumes) e ainda pertencia ao seu povo de origem no qual fazia parte de um dos 7 povos proibidos de relacionarem-se com eles em matrimônio:

Quando o SENHOR teu Deus te houver introduzido na terra, à qual vais para a possuir, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti, os Chititas, e os girgashitas, e os amoritas, e os cananitas, e os perizitas, e os hevitas, e os jebusitas, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu;…

Nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos;
Deuteronômio 7:1 e 3

Entendemos que David haMelech ao tomar conhecimento disso decidiu, de uma maneira que comentaremos mais adiante, recompensar Bat-Sheva por esta situação em que  se encontrava. E promete a ela neste momento que dela viria a ser o filho que reinaria em seu lugar, como ela mesmo recorda David em seu leito de morte:

E ela lhe disse: Senhor meu, tu juraste à tua serva pelo Senhor teu Deus, dizendo: Salomão, teu filho, reinará depois de mim, e ele se assentará no meu trono.
1 Reis 1:17

David aparentemente achou que o primeiro filho deles seria Shlomo, mas após o falecimento do mesmo, ele entendeu que seria o seguinte.

Porque não prosseguiram com o divórcio?

Quando Bat-Sheva optou sair voluntariamente da casa de Uriah, já representaria um divórcio de acordo com as 7 Leis de Noach.

Após terem se relacionado David e Bat-Sheva, ela o avisa que estava grávida, que é onde se inicia a parte mais problemática da história.

E a mulher concebeu; e mandou dizer a Davi: Estou grávida.
2 Samuel 11:5

Bat-Sheva não tentou ocultar o fato ou mandou uma mensagem por um sinal ou algo assim a David, pois este era exatamente o plano de ambos.

Então Davi mandou dizer a Yoav: Envia-me Uriah, o Chitita.
2 Samuel 11:6

Ao chegar Uriah a David, o Rei David lhe dá uma ordem:

Depois disse Davi a Urias: Desce à tua casa, e lava os teus pés. E, saindo Urias da casa real, logo lhe foi mandado um presente da mesa do rei.
2 Samuel 11:8

Para que chegando em casa não encontrasse sua mulher e efetivasse o divórcio, justamente por isso David envia com ele uma comitiva para terem testemunhas.

Mas Uriah toma uma atitude sem nexo. Ele criou uma nova restrição, inventou regras de sua própria cabeça. E pior desobedeceu uma ordem direta do Rei.

 E disse Urias a Davi: A arca, e Israel, e Judá ficaram em tendas; e Joabe, meu senhor, e os servos de meu senhor estão acampados no campo; e hei de eu entrar na minha casa, para comer e beber, e para me deitar com minha mulher? Pela tua vida, e pela vida da tua alma, não farei tal coisa.
2 Samuel 11:8

Segundo Rambam, no Mishneh Torah, Leis sobre Reis e Guerras 10, 9, um Oved Kohavim que invente ou adote para si regras de restrição deliberadamente, como se fossem mandamentos do D’us de Israel é passiel de pena de morte pela mas dos Céus. Além do que Uriah se achava suficientemente importante, por seu parentesco com Achitofel e Eliam, para contestar as ordens do Rei David. Já eram dois os motivos merecedores de pena capital, um pela mãos dos Céus (inventar para si regras como se fossem da Torah) e outro poderia até ser executado por espada (desobedecer uma ordem direta do Rei). David haMelech decide então dar uma “forcinha para os Céus” e envia-lo a frente da batalha para que morresse em guerra.

• Outro caso semelhante

Outro caso semelhante já havia se passado com David, Nabal que o havia ignorado em seu pedido de comida, David iria matá-lo e Avgail o impede, fazendo com que David não derramasse sangue pelas próprias mãos:

E bendito o teu conselho, e bendita tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão.
1 Samuel 25:33

E aconteceu que, passados quase dez dias, feriu o Senhor a Nabal, e este morreu.
1 Samuel 25:38

David decide então seguir um meio intermediário para executar a pena, enviando Uriah para a frente do campo de batalha com Yoav. Para que morresse em Guerra, ou seja, não teria sangue em suas mãos diretamente.

• O Significado da Repreensão do Profeta Natã

Natã se demorou a ir visitar David haMelech:

E, passado o luto, enviou Davi, e a recolheu em sua casa, e lhe foi por mulher, e deu-lhe à luz um filho. Porém esta coisa que Davi fez pareceu mal aos olhos do Senhor.
2 Samuel 11:27
E o SENHOR enviou Natã a Davi; e, apresentando-se ele a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre.
2 Samuel 12:1

Isso é muito intrigante, porque, como pode ser que a atitude de David havia ficado reprovável somente depois que ele perdeu um filho?

Após esta criança nascer, Achitofel vem visita-la e constata que pelo tamanho da bebê e datas da guerra era impossível ser filho de Uriah e conclui que era filho de David. Achitofel, o avô, passou a divulgar em publico que executaria mais uma vez um casamento misto, propagando a falha de David em publico, sobre um possível incesto na sua visão e a forma e motivo de Uriah ter morrido, David por sua vez, tinha o sonho da realização da profecia de que seu filho construiria o Beit Hamikdash. com o passar do tempo. Tudo isso fez com que esta importante profecia se degradasse diante dos olhos do povo. E só após o falecimento do bebê, foi necessário a intervenção do Profeta.

 

O cordeiro do homem pobre

Mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; e ela tinha crescido com ele e com seus filhos; do seu bocado comia, e do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha.
2 Samuel 12:3

Observem o texto com atenção, o profeta relata que um homem havia adquirido uma ovelha, que cresceu com ele e seus filhos, mas e suas esposa? A esposa não aparece no texto, entretanto observem que a ovelha “dormia em seu regaço”, ao seu lado.
A primeira coisa que deveria ter sido feita era, ter desfeito este casamento impróprio, que o “homem pobre” estava inserido. Conseguindo para ele uma mulher apropriada.

E, vindo um viajante ao homem rico, deixou este de tomar das suas ovelhas e das suas vacas para assar para o viajante que viera a ele; e tomou a cordeira do homem pobre, e a preparou para o homem que viera a ele.
2 Samuel 12:4

O texto demonstra que o homem rico não se preocupou com as necessidades do pobre, quis concertar a falha do casamento mas não se atentou para os filhos do homem pobre, que haviam crescido com a “ovelha”. Entendemos que Uriah tinha filhos e David e Bat Sheva no impeto de contraírem matrimônio, os deixou desamparados.

Toda esta situação fez com que a indignação de Achitofel ganhasse grandes proporções, levando uma grande massa a se colocar contra David, e mesmo se tratando da construção do Beit Hamikdash e da vontade do Rei, seria errado ignorar a aceitação popular, mesmo David estando amparado de acordo com a Lei. Sendo assim obrigada uma repreensão publica do profeta.

E andávamos em companhia na Casa de H”S

Chaza’l nos demonstrarm que no Tehilim 55, David haMelech faz um comentário sobre Achitofel:

Mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo.
Consultávamos juntos suavemente, e andávamos em companhia na casa de D’us.
A morte os assalte, e vivos desçam ao inferno; porque há maldade nas suas habitações e no meio deles.
Eu, porém, invocarei a D’us, e o Eterno me salvará.
Salmos 55:13-16

Por conta das calunias de Achitofel e sua maneira errada de aconselhar, o primeiro filho de David não pode vir a ser o “Shlomo da profecia”, a opinião publica sobre o Beit Hamikdash é muito importante, veja que mesmo as gurras de David sendo justificáveis, ele não poderia construir o Beit Hamikdash, porque como viram os povos, derrotados por David, oferecer as suas ofertas na Casa de H”S?

Porém, veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Tu derramaste sangue em abundância, e fizeste grandes guerras; não edificarás casa ao meu nome; porquanto muito sangue tens derramado na terra, perante mim.
1 Crônicas 22:8

Conclusão geral

A conclusão geral é que Achitofel enganava e procedia de maneira errada, levando Bat Sheva a contrair um matrimônio inválido com Uriah. Que levou á morte de Uriah em batalha no seu final.  HKB”H não enviou o Profeta Natã no inicio da história, por não conter problemas legais, estava tudo certo, mas somente depois de David haMelech insistir que esta criança em desacordo com o povo, seria Rei em seu lugar e erigiria o Beit Hamikdash. Como resposta à esta repreensão, David redige no Tehilim 69:

Tu, ó D’us, bem conheces a minha estultice; e os meus pecados não te são encobertos.
Salmos 69:5

O Talmud, Massechet Sanhedrin, Página 107a, declara: “David era apto para Bat Sheva bat Eliam, mas cometeu lapsos (foi prematur)”. Bat Sheva sim estava apta a casar com David, pois seu casamento era inválido. A falha de David foi ser prematuro, ele deveria ter separado Bat Sheva, encaminhado os órfãos de Uriah e ai então ter casado com Bat Sheva.

 

Fonte: Site Yeshivah

 

Rav Y. Lopes