O que é o Mundo Vinvouro?

O que é o Mundo Vindouro?
As duas fases do Mundo Vindouro
O deleite espiritual no Mundo Vindouro
Um pouquinho do Mundo Vindouro

Nós demonstrado acima que a Torá afirma a existência de vida após a morte, e que a alma continua a viver mesmo depois que ele deixou a sua morada terrena. Nesta seção, vamos discutir o que o Mundo Vindouro realmente é, e seu contexto na visão de mundo judaico.

As duas fases do Mundo Vindouro

O Mundo Vindouro é dividido em duas fases. A primeira fase é experimentado após a morte quando a alma vai para o Olam Haneshamot, o Mundo das Almas, e já está em existência. Esta fase é referida pelo Talmud como Gan Eden (O Jardim do Éden). A segunda fase do Mundo Vindouro será uma era futura com início nos Dias de Mashiach.

Após a chegada do Mashiach haverá duas ressurreições dos mortos em dois períodos distintos. A primeira ressurreição terá lugar imediatamente após a chegada do Mashiach. No entanto, apenas as pessoas que foram completamente justos durante a sua vida vão voltar a vida naquele momento. A segunda ressurreição para o resto da humanidade vai seguir no final do período de Mashiach. Naquela época, conhecido como o Grande Dia do Juízo, D-us vai julgar a todos e determinar com precisão o nível de vida eterna a ser concedido a cada indivíduo corpo/alma. Esta será uma forma inteiramente nova de existência, diferente, quer seja deste mundo ou do mundo das Almas.

Ramchal (Rabbi Moshe Chaim Luzzatto), Ma’amar HaIkarim – O Mundo Vindouro tem duas fases.

A recompensa no Mundo Vindouro é, de acordo com os próprios atos neste mundo, um grau fixo do verdadeiro bem, isto é a proximidade a D-us, que irá então ser apreciado por toda a eternidade. Este, por sua vez, também é dividido em duas partes, sendo uma no Mundo das Almas, e outra no Mundo, depois da Ressurreição …

Ramban (Nachmânides), Torah Adam, Sha’ar Ha Gemul – O Mundo Vindouro segue uma progressão de eventos e é em última instância uma existência eterna.

A recompensa das almas e sua existência no Mundo das Almas é chamado Gan Eden pelos nossos rabinos …

Após o Mundo das Almas virá a era do Mashiach, que é uma parte deste mundo. Na conclusão do mesmo, o Grande Julgamento e a ressurreição dos mortos irá ocorrer. Este é o período de recompensa que inclui o corpo e a alma.

Este é o mundo vindouro, no qual o corpo doente tornar-se-á como a alma e a alma vai aderir ao conhecimento de Deus, assim como aderir a Ele no Gan Eden no Mundo das Almas. Neste então, será elevada a um grau ainda maior e tudo continuará a existir para todo o sempre.

Ramchal, Adir BaMarom, Parte I – O Mundo Vindouro é uma forma inteiramente nova de existência.

Nesse ponto, Deus julgará cada detalhe que aconteceu desde o início da Criação, todos os seis mil anos dela. Então virá o sétimo milênio para recriação do mundo… e por fim o oitavo milênio, ou seja, o Mundo Vindouro. Nesse ponto, uma nova estrutura [da Criação] será construído … do qual não podemos conceber. Por uma questão de facilidade, usaremos o termo “Mundo Vindouro” para se referir à experiência da alma após a morte em geral, embora algumas das fontes a seguir podem referir-se especificamente a uma fase em vez de outra.

O deleite  espiritual no Mundo Vindouro

Os detalhes da imortalidade e do Mundo Vindouro não são mencionados explicitamente na Torá Escrita. Por isso, o profeta diz ao falar do Mundo Vindouro, “Olho nenhum viu, além de Deus, que Ele vai fazer por aqueles que esperam nEle” (Yeshayahu / Isaías 63: 4). No entanto, como veremos nas seguintes fontes, a Torá Oral contém descrições por meio de analogias e metáforas.

Talmud Bavli (Talmud babilônico), Berachot 17a – O Mundo Vindouro é uma delícia espiritual.

A frase favorita de Rav foi: O mundo futuro não é como este mundo. No mundo futuro, não há nem comer, nem beber, nem propagação, nem negócio, nem inveja, nem ódio, nem a concorrência. Em vez disso, o justos sentar-se-ão com as suas coroas em suas cabeças apreciando o brilho da Presença Divina.

Talmud Bavli, Taanit 31a – O justo se alegrará na Presença de Deus.

Ulla Biraah disse em nome de Rabi Elazar “No futuro o Santo, Bendito seja Ele, fará um círculo para os justos, e Ele vai sentar-se com eles no Jardim do Éden, e cada um irá apontar a Ele com o dedo, como está escrito: “E naquele dia se dirá: Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nos salvará; este é o Senhor, a quem aguardávamos; na sua salvação gozaremos e nos alegraremos.”
[Ieshaiahu, 25,9].

Ramchal, Derech Hashem (O caminho de D-us) 1: 3: 12, tradução pelo Rabino Aryeh Kaplan, Feldheim Publishers, p. 57 – As experiências da alma desencarnada ao deliciar-se com o mundo das Almas são semelhantes ao que vai experimentar no Mundo Vindouro (após a ressurreição).

No entanto, quando a alma deixa o corpo e entra no mundo das Almas, então ela pode irradiar livremente com um brilho que convém a ela como resultado de suas boas ações [enquanto associados com o corpo]. Além disso no Mundo das Almas, a alma é capaz de recuperar o poder que perdeu enquanto associada com o corpo.

Rabino Eliyahu Dessler, Esforce-se para a Verdade, Vol. III, p. 191 – Uma pessoa vai deliciar-se com a valorização do amor e reconhecimento de Deus, e obter satisfação de sua própria contribuição para o cumprimento do propósito da Criação.

Ao entrar no estado conhecido como “Mundo Vindouro” o Tsadic (pessoa justa), como vimos acima, começa a “apreciar o esplendor da Shechinah (Presença de D-us).” D-us levanta, por assim dizer, um canto da cortina, e o Tsadik experimenta um pouco da grandeza avassaladora de D-us, do amor multifacetado para as Suas criaturas. Ele recebe uma idéia do plano universal majestoso que Deus tem para todas as Suas criaturas, e deriva alegria inimaginável da constatação de que sua luta contra o seu yetzer hara (má inclinação) em seu estado anterior ter contribuído significativamente para o cumprimento desse plano. Sua alma está impregnado com prazer idescritível. E mais, o próprio fato de que lhe foi concedido tais revelações, o próprio fato de que ele tem o privilégio de experimentar tanto prazer, deve significar [ele percebe] que os seus esforços passados são apreciados. Por saber que Deus, a quem servia, está satisfeito com ele aumenta-se imensamente sua satisfação.

Um pouquinho do Mundo Vindouro

Talmud Bavli, Berachot 57b – Certas coisas que provamos o sabor do Mundo Vindouro

Há três coisas que são como provar o gosto do Mundo Vindouro: Shabat, o Sol, e “utilização”. O que “utilização” significa? O uso da cama [isto é, relações conjugais], mas isso enfraquece o corpo ou significa o uso dos orifícios [i.e. fazer suas necessidades].

Rav Reuven Leuchter – Sensações físicas de uma realidade mais elevada são uma amostra do Mundo Vindouro

Cada uma dessas coisas [em Berachot 57b] é um sentimento de consciência espiritual que uma pessoa experimenta com seus sentidos físicos:
1. Shabat: um sentido da natureza da espiritualidade vivida pelo corpo.
2. O sol: um sentido de a influência dos corpos celestes sobre o corpo.
3. Relações Conjugais: a continuidade do povo judeu experientes com o corpo. Mas desde que a sensação física enfraquece o corpo não consegue paralelo a experiência do Mundo Vindouro, portanto, a versão alternativa:
4. Fazer suas necessidades: a experiência do corpo de expulsar o mal.
Qualquer consciência de uma existência superior que uma pessoa pode sentir com o próprio corpo é um “gosto” do Mundo Vindouro.

Maharsha, Brachot 57b – O Shabat é um traço ainda discernível fraco do
Mundo Vindouro

Cinco coisas são um sexagésimo do outro: o Shabat é um sessenta avos do Mundo Vindouro. Assim como encontramos no que diz respeito às misturas proibidas [na kashrut] que uma parte em sessenta mantém sua identidade e não é anulado… assim também aqui, todas as coisas mencionadas mantêm traços do original.

Rabino Eliyahu Dessler, Michtav M’Eliyahu, Vol. V, p. 96 – O Shabat revela um pouco da luz espiritual oculta que nos espera no Mundo Vindouro.

O Shabat tem um “sabor do Mundo Vindouro”, que significa que contém aspectos do Mundo Vindouro aqui neste mundo, [ele é um pedaço da] luz espiritual oculta [que existe no Mundo Vindouro].

Da mesma forma, observando o Shabat – ao cessar toda a atividade fisicamente criativa dos demais dias da semana e os esforços para melhorar o mundo físico – instila uma sensação de que o verdadeiro propósito da vida é espiritual e que o nosso envolvimento com o mundo físico não é o mais importante.

Conclusões:

Certas experiências nos dão uma dica neste mundo sobre a natureza da existência no Mundo Vindouro. A característica principal, porém, é que o Mundo Vindouro será experimentada com o deleite espiritual de estar na presença de Deus.
As pessoas irão deliciar-se com a valorização do amor e reconhecimento de D-us, e obter satisfação de sua própria contribuição para o cumprimento no propósito da Criação.
Sensações físicas de uma realidade mais elevada são uma amostra do Mundo Vindouro.
O Shabat revela um pouco da luz espiritual oculta que nos espera no Mundo Vindouro.

 

Rav Y. Lopes