O que é o mundo vindouro?

Em três capítulos tratando sobre o Mundo Vindouro, vamos descobrir que há muito mais neste mundo do que nossos olhos podem ver. É fundamental entender que, na visão Judaica, há uma realidade espiritual, além da que experimentamos diariamente no mundo físico.
Quando uma pessoa morre, apenas seu corpo será enterrado, enquanto sua alma, ingressa em um reino Espiritual, onde continua tendo auto-consciência. Nos dias de Mashiach, a alma unirá novamente ao corpo, onde o mundo encontrará um pleno reconhecimento de D-us.
Assim como as experiências individuais nos levam a uma nova forma de enxergar nossa realidade e nos elevam dia a dia, assim também, o presente estado humano, é uma mera fase no desenvolvimento e desdobramento da humanidade, que caminha para um futuro ainda desconhecido.

Neste tópico de uma série de três partes sobre o Mundo Vindouro, vamos explorar as as seguintes questões:

• O que é o Mundo Vindouro – há vida após a morte?
• Há referências na Torá sobre um mundo futuro?
• O que acontece depois da morte?
• Como descrever o sentimento de estar no mundo vindouro?
• É o Mundo Vindouro de alguma forma semelhante a este mundo?
• Qual é o propósito do Mundo Vindouro?

Resumo do Tópico:

Parte I:

A existência do Mundo Vindouro
Fontes na Tanach
Fontes no Talmud e Midrash

A existência do Mundo Vinvouro

Antes de entrar na definição específica do Mundo Vindouro e como ele é atingido, vamos começar pela demonstração na Torá (os Cinco Livros de Moisés), profetas e fontes talmúdicas que o judaísmo definitivamente afirma a crença na vida após a morte. O Chumash não se refere diretamente a vida após a morte ou o Mundo Vindouro por razões que discutiremos futuramente.

Referências na Torah:

Bereshit (Genesis) 25:8-9; 35:28-29 – O termo “reunido seu povo”, que vem depois da morte e antes do enterro, aponta para uma vida após a morte.

E Abraão expirou, morrendo em boa velhice, velho e farto de dias; e foi congregado ao seu povo;
E Isaque e Ismael, seus filhos, sepultaram-no na cova de Macpela, no campo de Efrom, filho de Zoar, heteu, que estava em frente de Mamre,
Bereshit 25:8,9

E foram os dias de Isaque cento e oitenta anos. E Isaque expirou, e morreu, e foi recolhido ao seu povo, velho e farto de dias; e Esaú e Jacó, seus filhos, o sepultaram.
Bereshit 35:28,29

A frase “congregado ao seu povo” reflete que une as almas de uns aos outros no Mundo das Almas.

Um comentário em Toledot Yitschak sobre o termo “Reunido ao seu povo”, que as almas após a morte, reunem-se às almas de seus semelhantes.

“E ele foi reunido ao seu povo” – refere-se à alma que está se reunindo com as almas de seus antepassados justos; porque quando a alma está em que o corpo é separada do resto das almas que não estão ligadas a um corpo. No entanto, quando ele deixa o corpo, a alma se une ao resto das almas que são igualmente separadas de seus corpos.

I Shmuel (Samuel) 28:3; 11-15  – Depois de sua morte, o profeta Samuel foi invocado em uma visão.

E Samuel já estava morto, e todo o Israel o tinha chorado, e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; e Saul tinha desterrado os adivinhos e os encantadores.
1 Samuel 28:3

A mulher então lhe disse: A quem te farei subir? E disse ele: Faze-me subir a Samuel.
Vendo, pois, a mulher a Samuel, gritou com alta voz, e falou a Saul, dizendo: Por que me tens enganado? Pois tu mesmo és Saul.
E o rei lhe disse: Não temas; que é que vês? Então a mulher disse a Saul: Vejo deuses que sobem da terra.
E lhe disse: Como é a sua figura? E disse ela: Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra, e se prostrou.
Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste, fazendo-me subir? Então disse Saul: Mui angustiado estou, porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se tem desviado de mim, e não me responde mais, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso te chamei a ti, para que me faças saber o que hei de fazer.
1 Samuel 28:11-15

Vayicrá (Levítico) 18: 5, com Sifra, Parashat 09:10 – A Torá promete a vida eterna para
quem segue as mitzvot.

Portanto, os meus estatutos e os meus juízos guardareis; os quais, observando-os o homem, viverá por eles. Eu sou o HaShem.
Levítico 18:5

“viverá por eles” – no Mundo Vindouro. Talvez você possa pensar que esta frase se refere a este mundo. Mas, eventualmente, todo mundo vai morrer e, portanto, qual seria o significado de “viverás por eles”? [Por isso, deve referir-se ao] Mundo Vindouro …

Referências no Talmud e Midrash

Bereshit Rabá 01:10 – No início da existência, foram criados dois mundos: este mundo e o Mundo Vindouro.

Por que o mundo foi criado com a letra Beit [na palavra Bereshit]? Para ensinar-lhe que existem dois mundos – este mundo e o Mundo Vindouro [a letra Beit tem o valor numérico de dois].

Pirkei Avot (Ética dos Pais) 4:16 – Este mundo é comparado a um corredor que leva até uma sala de banquetes, que é o Mundo Vindouro.

Rabbi Yaakov disse: “Este mundo é como um corredor de entrada antes do Mundo Vindouro. Prepare-se no corredor para que você possa entrar na sala do banquete.”

Rambam (Maimônides) ibid. – Se um indivíduo adquire os atributos adequados neste mundo, ele merece a vida no Mundo Vindouro.

A analogia é compreendida e o objetivo é bem conhecido: Neste mundo uma pessoa adquire os atributos que lhe permitem merecer a vida no Mundo Vindouro, e este mundo é o caminho e passagem.

Mishná, Peah 1: 1 – O principal local para a recompensa de nossos esforços está no Mundo Vindouro.

Estes são os preceitos cuja medida não está estipulada: deixar os cantos de um campo para os pobres, a primeira oferta de frutas, peregrinação ao templo em Jerusalém, os atos de bondade, e o estudo da Torá. Estes são os preceitos cujo desempenho deriva benefício neste mundo, mas a recompensa principal espera pela pessoa no Mundo Vindouro: honrar o pai e mãe, atos de bondade, trazer a paz entre dois indivíduos, e o estudo da Torá que é equivalente a eles todos.

Conclusões:

O Judaísmo afirma a existência de vida após a morte e um Mundo Vindouro.
A Torá (os Cinco Livros de Moisés) não se referem diretamente a vida após a morte ou o Mundo Vindouro, por razões que serão discutidas nos próximos capítulos.   No entanto, o Talmud contém muitas referências à vida após a morte e no Mundo Vindouro, e há registro nos Profetas sobre se comunicar com as almas dos mortos.